Seja bem-vindo
São Paulo, 21/04/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Mais de 100 famílias cristãs deixam o Iraque por causa da perseguição

    Entenda o que acontece no país

    Fonte: Universal.org
    Mais de 100 famílias cristãs deixam o Iraque por causa da perseguição Universal.org

    No Iraque, uma nova onda de cristãos estão deixando o país devido à perseguição. 


    Entenda: Ao Portas Abertas, um líder cristão chamado Louis Sako contou que mais uma vez a situação da comunidade cristã no Iraque gera preocupação.


    “O estado de instabilidade e falta de equidade provocou um novo fluxo de migração”, afirmou o líder cristão em entrevista. 


    Conforme ele disse, nos últimos meses, cerca de 100 famílias precisaram sair de Qaraqosh, na planície de Nínive. Além de mais dezenas de famílias, que emigraram de outras regiões, como das cidades de Ankawa, na região do Curdistão.


    “Por causa da marginalização total ou parcial, os poucos cristãos que ficaram enfrentam sofrimentos como sequestros e assassinatos desde 2003, seguidos pela ocupação do Estado Islâmico em Mosul e cidades na planície de Nínive. Se não fosse pelo acolhimento do Governo Regional do Curdistão e pelo socorro emergencial das igrejas na reconstrução das casas depois da libertação, os cristãos deslocados internos estariam como o povo em Gaza, na Palestina, sabendo que o governo central não providenciaria nada para eles”, destacou.  


    O que analisar:

    Os ataques e perseguições aos cristãos continuam avançando no território iraquiano. Onde seus trabalhos, propriedades, herança, história e legado cristão vêm sendo alvos, sem contar quando são obrigados a se converter ao islã, pelo próprio Estado Islâmico e falta de direitos humanos.


    “Eles continuam dizendo palavras bonitas, mas não tomam ações. Foi o que aconteceu quando o jovem cristão Samer Salah Al-Din foi morto em uma vizinhança de Bagdá. Qual o resultado da investigação sobre a tragédia que ceifou a vida de centenas de cristãos no casamento [em 2023]? Mais de um milhão de cristãos emigraram, a maioria com qualificação acadêmica, econômica e habilidades científicas, mas quem se importa?”, afirmou Sako sobre as medidas governamentais ineficazes.




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login