Seja bem-vindo
São Paulo, 21/04/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Educação em baixa: cresce a desconfiança em relação ao Ensino Superior

    A situação parece tão dramática que até mesmo a ciência, enquanto método e conceito, tem sido questionada

    Fonte: Gama Revista
    Educação em baixa: cresce a desconfiança em relação ao Ensino Superior Reprodução

    De acordo com um estudo feito pelo Instituto Gallup, foi constatado que a confiança dos americanos no ensino superior tem diminuído recentemente, atingindo apenas 36% entre os participantes da pesquisa. Esse número é significativamente menor se comparado às pesquisas anteriores realizadas em 2015 (57%) e 2018 (48%).


    Os especialistas afirmam que o aumento dos custos para ter acesso ao ensino superior está influenciando essa situação, mas pretendo analisar esse assunto de maneira mais ampla, já que não é surpresa para quem acompanha de perto as mudanças na sociedade contemporânea perceber que a educação tem sido alvo de várias críticas.


    Uma questão crucial refere-se à influência ideológica nas salas de aula, algo comum em diversos países. Em suma, trata-se da troca do conhecimento baseado em fatos pela propagação de narrativas que buscam questionar verdades estabelecidas pela ciência, como a definição biológica dos gêneros masculino e feminino, por exemplo.


    Temas como sexualidade, meio ambiente, arte, saúde e religião deram origem a debates controversos que agora estão presentes também nas conversas públicas, indo além do ambiente acadêmico. Assim, essas questões se tornaram familiares para a população em geral, que passou a se interessar mais por elas devido à fácil disseminação de informações.


    Pode ser que todos esses fatores tenham colaborado para a desconfiança em relação ao ensino superior, que reflete uma educação que está em crise, onde os jovens são incentivados a se engajar em causas puramente ideológicas, sem embasamento científico, sendo influenciados por um grupo de influenciadores culturais com interesses que não visam necessariamente o progresso humano, mas sim o controle.


    A situação está tão grave que até mesmo a ciência, como método e conceito, tem sido posta em xeque. Essa dúvida não parte apenas de leigos, mas também de profissionais respeitados que atuam no meio acadêmico, os quais reconhecem os danos causados pela influência ideológica nas salas de aula e laboratórios.


    Em outras palavras, os saberes adquiridos que serviram de alicerce para a formação da sociedade atual, possibilitando a construção de arranha-céus e a chegada à Lua, não são mais tão confiáveis como eram antes. Isso não se deve à falta de evidências concretas, mas sim ao fato de que a politização da educação tem minado a compreensão de mundo dessa geração.

    Essa desconfiança também parece ser percebida nas famílias, onde pais e mães têm mostrado preocupação com a qualidade do ensino oferecido aos filhos. Para os membros da comunidade cristã, líderes e empresários, essa é uma excelente oportunidade de investir na disponibilização de um ensino confiável - escolas e universidades.


    As igrejas podem e devem encarar a educação como uma de suas prioridades, e este é um cenário que também pode ser visto como um campo missionário, não para converter, mas sim comprometido exclusivamente com a verdade, pois tudo o que é verdadeiro reflete os princípios da criação e, consequentemente, a glória de Deus.




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login