Seja bem-vindo
São Paulo, 02/03/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Família vence processo que impedia a filha de usar máscara com as palavras “Jesus me ama”

    O caso aconteceu no distrito escolar de Mississippi, nos EUA. Saiba mais detalhes

    Fonte: Alliance Defending Freedom
    Família vence processo que impedia a filha de usar máscara com as palavras “Jesus me ama”

    Após ter sido impedida de usar máscara com a frase que
    expressa sua fé, a estudante Lydia Booth e sua família vencem processo judicial
    contra distrito escolar.

     

    Entenda o caso:

    Lydia Booth era aluna da terceira série do Simpson County
    School District, no Mississippi, Estados Unidos, quando foi impedida de usar
    máscara facial contra a Covid-19, com as palavras “Jesus me ama”, em outubro de
    2020.

     

    Anteriormente, a escola não tinha nenhuma objeção contra
    atitudes como essa e outras crianças também usavam máscaras com dizeres
    diversos. Porém, após o uso da máscara, feito por Lydia, culminou em uma
    determinação que restringiu o uso de máscaras faciais com discurso “político”
    ou “religioso”. Desde então, Lydia se viu surpresa com a decisão e relatou ter
    se sentido triste e confusa.

     

    “Escolhi [a máscara] porque tinha minhas palavras favoritas,
    ‘Jesus me ama’, e me fazia sentir segura quando ia para a escola”, disse a
    estudante, acrescentando que queria compartilhar essa mensagem com os outros
    alunos.

     

    Após a determinação, a família decidiu processar a escola e
    por vários dias Lydia foi convidada a remover sua máscara dentro do ambiente
    escolar.

     

    O que aconteceu:

    Diante do processo, de acordo com Alliance Defending
    Freedom, na semana passada, o distrito escolar entrou em acordo com a família e
    descartou a política, que proibia o discurso religioso e político com máscaras
    dentro da escola.

     

    E mesmo, atualmente, não sendo exigido que os alunos usem
    máscaras no ambiente escolar, a garota e sua mãe afirmam que estão felizes por
    terem lutado para mudar essa política.

     

    “É sobre as pequenas coisas, no dia a dia; você não percebe
    uma mudança, mas daqui a cinco anos, você vai olhar para trás e ver como tudo
    mudou drasticamente”, disse Jennifer Booth, a mãe da menina.

     

    Já Lydia comemorou declarando que a mudança na política
    significa que ela ainda pode compartilhar sua fé em Deus com seus colegas e,
    também, usar a máscara, se assim desejar.

     

















































    “Se temos uma crença, temos o direito de compartilhá-la”,
    destacou a garota.




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login