Seja bem-vindo
São Paulo, 17/07/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Nos EUA, famílias saem às ruas em manifestação contra educação LGBTQ+ nas escolas

    Entenda o que aconteceu na Califórnia


    Nos EUA, famílias saem às ruas em manifestação contra educação LGBTQ+ nas escolas

    Na Califórnia, Estados Unidos, famílias estão lutando pelos direitos parentais e resistindo às políticas estaduais que tentam introduzir a ideologia LGBTQ+ para crianças.


    Entenda o caso:

    Vestindo camisetas estampadas escrito “Leave Our Kids Alone”  –  que significa “Deixe nossos filhos em paz”, na tradução para o português – 150 pais e mães foram às ruas do centro de Los Angeles, a fim de manifestar que são contra que a educação LGBTQ+ faça parte do currículo das escolas públicas.


    “Acreditamos que existe um sistema de doutrinação radical que vazou da academia e agora do jardim de infância ao 12º ano. Temos tentado tirar livros pornográficos infantis das escolas”, disse Ben Richards, um pai de San Diego.


    Entre as manifestações, as famílias pedem que a comunidade LGBTQ+ e a educação relacionada ao sexo sejam mantidas fora das escolas. Eles também pedem que os distritos escolares avisem os pais se seu filho pedir para se identificar com outro gênero na escola.


    “E não queremos que as pessoas falem sobre sexo com nossos filhos sem nos avisar e pelas nossas costas”, disse os defensores dos pais ao canal LA Times.


    O que analisar:

    Em agosto, os manifestantes e defensores dos direitos parentais também realizaram uma conferência de imprensa para chamar atenção para as diversas leis que infringem tanto os direitos dos pais, como o controle local do currículo escolar.


    “O objetivo deles era romper a unidade familiar e assumir o controle dos nossos filhos. Quando recuamos, eles fazem coisas antiéticas para nos acalmar”, disse a presidente do conselho do Distrito Escolar Unificado de Chino Valley (CVUSD), Sonja Shaw. 


    Para agravar a situação, o Conselho da Família da Califórnia afirma que os legisladores estaduais estão pressionando a retirada do controle local das comunidades e privando os pais dos seus direitos de cuidar dos seus filhos.


    Desta forma, conforme relatado pela CBN News, a emenda AB 957 classificaria os pais que não aprovam a ideologia de gênero como abusivos. Se for comprovado, poderia resultar na remoção da criança da casa de sua família.


    Inclusive, nova emenda altera o Código da Família da Califórnia e permitiria que os tribunais interviessem, caso uma família desaprovasse a ideologia transgênero.


    “Isso significa que os pais em brigas pela custódia terão um incentivo material para apoiar a afirmação como meio de obter a custódia e os juízes terão que dar prioridade a essa questão ao pesar e equilibrar os fatores sociais que sempre fazem parte de tais casos”, declarou Wesley Smith, pesquisador sênior do Centro de Excepcionalismo Humano do Discovery Institute.





    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login