Seja bem-vindo
São Paulo, 19/05/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Guerras e Armas

    Deus não precisa de nossas espadas para nos dar vitória

    Guerras e Armas

    Ele não tinha nenhuma armadura, nem mesmo a de um simples soldado do exército hebreu, pois era um pastor de ovelhas levando queijo para seus irmãos na batalha. 

    Ele não tinha a forma da linda armadura do experiente Saul, as armas do rei não serviam para um pequeno guerreiro inexperiente. 

    Davi também não tinha uma moderna armadura no nível do gigante Golias, ele ainda usava uma arma antiga, da pré-história. 

    Então, como o filho de Jessé conseguiu derrotar o grandalhão filisteu? Ao lermos I Samuel 17.50 encontramos um resumo perfeito dessa história épica: “Assim, Davi prevaleceu contra o filisteu, com uma funda e com uma pedra, e feriu o filisteu, e o matou sem que Davi tivesse uma espada na mão.”

    Nem todas as guerras serão vencidas com soldados armados até os dentes. Nem todas as batalhas serão ganhas com armaduras caras de reis. Nem sempre venceremos os confrontos utilizando instrumentos modernos tais quais nossos inimigos usam. 

    Às vezes, Deus nos impulsiona com Seu Espirito, de uma tal maneira, que as ferramentas mais simples e básicas que temos intimidade se tornam munição poderosa e destruidora no terreno do inimigo. 

    Aquele futuro rei de Israel prevaleceu contra Golias com uma funda e uma pedra. Foi um feito tão grande que até hoje se fala sobre essa vitória espetacular em Israel. 

    Quantas vezes associamos as nossas conquistas ao pensamento de que as ferramentas comuns da sociedade nos são vitais. Assim buscamos ter o mínimo de instrumentos que todos têm para garantir o sucesso. 

    Em outros momentos estamos correndo desesperadamente atrás de um Case de Sucesso para franquiarmos em nosso projeto. Porém, o que deu certo para um, não necessariamente, dará certo para outro. 

    E ainda existem aqueles viciados em novidades e tecnologias, pensando que quem tiver as armas mais modernas e caras também terá a garantia da vitória. A história de Davi e Golias derrubam todos esses mitos. O menor, inexperiente e ultrapassado guerreiro venceu o desafio. 

    Outra coisa que aprendemos nesse texto bíblico é que as batalhas não são iguais, cada uma é distinta da outra. Davi nunca mais lutou uma guerra usando uma funda. Ele foi se aperfeiçoando. Ele se tornou um especialista de guerras. 

    Antes de Davi entrar no ringue com Golias ele fez uma declaração pública sobre o desfecho daquele conflito: “E saberá toda essa congregação que o Senhor salva, não com espada, nem com lança; porque do Senhor é a guerra, e ele vos entregará na nossa mão” (I Sm 17.47).

    Mesmo quando esse belemita chegou ao trono de Sião e mesmo depois de vencer dezenas de guerras, a sua confiança ainda continuava no Senhor dos Exércitos, que nunca o desamparou na batalha e que nunca precisou da espada de Davi para lhe dar vitória. 

    Certamente que foi por essa certeza inabalável que o guerreiro adorador fez a seguinte exposição no Salmo 20.7: “Uns confiam em carros e outros em cavalos, mas nós faremos menção do nome do Senhor”.

    Armas são importantes, sim. Uma armadura é, com certeza, indispensável na batalha. No entanto, triste daquele que coloca a sua esperança nas falíveis armas humanas, se esquecendo que as adversidades são excelentes oportunidades do Senhor revelar a Sua salvação. 


    Pr Salomão Liberato Jr.





    COMENTÁRIOS

    LEIA TAMBÉM

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login