Os riscos de ser cristão

Mais de 260 milhões de cristãos são perseguidos em todo o mundo por causa de sua fé. Entre eles, existem cristãos que vivem sua fé em segredo, com medo de serem presos, torturados ou mortos

Por Portas Abertas 06/02/2020 - 09:34 hs
Foto: Portas Abertas

De acordo com a pesquisa realizada pela Portas Abertas, organização que apoia cristãos que enfrentam hostilidade e perseguição nos países mais fechados do mundo, mais de 260 milhões de cristãos são perseguidos em todo mundo, em decorrência de sua fé.

A pesquisa, realizada anualmente há mais de 25 anos, gera a Lista Mundial da Perseguição (LMP), que classifica os 50 países mais hostis ao cristão. No topo da Lista, encontra-se 11 países que passam por perseguição extrema e, nesse universo, muitos dos cristãos não podem sequer declarar sua fé publicamente, sequer a vizinhos, amigos próximos ou membros da própria família. Esses são os cristãos secretos, uma multidão de pessoas que arrisca sua vida para adorar a Deus e seguir a Jesus.

Cristãos secretos precisam esconder suas Bíblias, se encontrar em lugares secretos e sussurrar enquanto cantam ou louvam a Deus. Segundo o secretário-geral da Portas Abertas, Marco Cruz, em uma de suas viagens a um país da Ásia, ele teve a oportunidade de encontrar com um grupo de cristãos secretos. Cruz relata que medidas rígidas de segurança são tomadas em casos assim: celulares desligados, fotos nem pensar. “Como você e eu, aquelas pessoas foram alcançadas pelo amor de Deus. E, por causa disso, tiveram suas vidas e rotinas mudadas. Eles não podem professar a fé publicamente, portar uma Bíblia ou sequer ter comunhão uns com os outros, atividades tão comuns a nós. Tudo precisa ser feito em segredo”, conta.

Há comunidades cristãs secretas em sociedades islâmicas, budistas, hinduístas e comunistas no mundo todo. Entretanto, dos 10 primeiros países da Lista Mundial da Perseguição 2020, oito são islâmicos, e em todos, cristãos ex-muçulmanos enfrentam retaliação caso a nova crença se torne conhecida.

Em nações como o Afeganistão – 2º da LMP – não há igreja cristã visível, então, os cristãos se encontram em segredo. O país enfrenta a mesma pressão extrema que a Coreia do Norte (primeira da Lista desde 2002). Deixar o islamismo é um ato de traição, portanto, professar a Cristo está fora de questão. Por isso, quando os cristãos são descobertos, são forçados a negar a fé.

Ler a Palavra e estar com outros cristãos é enriquecedor para o cristão secreto. Matthew, um cristão da Eritreia (6º na LMP), foi descoberto e preso em um campo militar. Ao sair, ele tomou a difícil decisão de fugir do país e lidera uma igreja de refugiados. Ele explica como é relevante em situações como essas os cristãos serem capacitados com base bíblica. Mesmo diante da difícil realidade, ele afirma: “Vejo a mão de Deus nos encorajando e respondendo nossas orações. Ele continua no controle e está trabalhando em nós. E o que nos sustenta”.