Seja bem-vindo
São Paulo, 17/07/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Casamento de antigamente: Contrato e o Preço da noiva

    Fonte: Universal.org/ Obreiros
    Casamento de antigamente: Contrato e o Preço da noiva Record tv

    Casamento com lavanda

    O que as Escrituras querem dizer quando se referem à igreja como noiva e a Jesus como noivo? Será que é apenas uma linguagem rebuscada? Será que só serve para indicar o amor de Deus pelo Seu povo? Compreender as antigas práticas de casamento judaico ajuda a esclarecer as Escrituras. O casamento é um retrato da aliança que Jesus fez e revela Seus planos de voltar para a Sua noiva, a Igreja. O povo do Antigo Israel entendia o que Jesus ia fazer porque eles entendiam o modelo do casamento. A analogia entre o casamento e Cristo e a Igreja é descrito em Efésios 5:31,32: 

    “Por isso, deixará o homem seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher; e serão dois numa carne. Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja.” 

    A seguir, temos um resumo das práticas de noivado e casamento judaicos em tempos remotos. Através de um paralelo, podemos ver como Jesus cumpriu a parte do noivado e como Ele vai cumprir o restante quando vier buscar a Sua noiva, a Igreja. 

    CASAMENTO DE ANTIGAMENTE: CONTRATO DE CASAMENTO E O PREÇO DA NOIVA  

    Quando um rapaz desejava se casar com uma moça no Antigo Israel, ele preparava um contrato ou acordo para apresentar à moça e a seu pai na casa dela. O contrato mostrava a sua disposição de prover para a moça e descrevia os termos sob os quais ele pretendia se casar. A parte mais importante do contrato era o preço da noiva—o valor que o rapaz estava disposto a pagar para se casar com ela. O pagamento deveria ser feito ao pai da moça em troca de sua permissão. O preço da noiva costumava ser bem alto. Os filhos eram considerados mais valiosos do que as filhas porque eram fisicamente mais capazes de ajudar no plantio e em outros trabalhos pesados. O preço da noiva compensava pelo gasto que a família da moça teve para criá-la e mostrava o amor que o rapaz tinha por ela—a moça era muito valiosa para o rapaz! O rapaz ia à casa da moça com o contrato e fazia a sua oferta à moça e ao pai dela.

    Fique atento para a parte 2, e deixa o seu comentário.




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login