Seja bem-vindo
São Paulo, 04/03/2024

    • A +
    • A -
    Publicidade

    Funcionários do metrô, CPTM e Sabesp fazem paralisação

    Sabesp e professores da rede estadual também aderiram à greve. Grupos protestam contra a privatização de empresas e serviços

    Fonte: R7
    Funcionários do metrô, CPTM e Sabesp fazem paralisação R7

    Funcionários do Metrô, da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e da Sabesp, bem como alguns professores estaduais, realizam uma paralisação coletiva a partir da 00h desta terça-feira (28), contra propostas do Governo de São Paulo para privatizar empresas e serviços de determinadas áreas.


    A manifestação desta terça é chamada de "Dia Estadual de Greve do Funcionalismo e Estatais" pelos sindicatos que representam os trabalhadores. O Governo de SP estima que 4,6 milhões de passageiros sejam afetados pela interrupção dos serviços sobre trilhos.
    Os metroviários revelaram ao R7 que, caso o governador Tarcísio de Freitas (Republicanos) libere as catracas para que os passageiros usem os serviços sem pagar, os trabalhadores vão fazer a manifestação, mas atenderão o público normalmente.


    "Nós estamos dispostos a assumir os nossos pontos desde que ele libere as catracas para a população", afirmou o Sindicato dos Metroviários.

    O governo estadual protocolou um  pedido de tutela antecipada na Justiça contra a paralisação das entidades. O pedido obriga a presença de 100% dos funcionários do sistema de transporte durante os horários de pico e de pelo menos 80% no restante do dia.

    Ainda segundo o Governo de São Paulo, "a greve é motivada por interesses políticos, e a pauta principal dos sindicatos não está ligada a causas trabalhistas".

    A paralisação ocorre menos de dois meses após a última greve do transporte público, realizada em 3 de outubro. Na ocasião, a cidade conviveu com congestionamentos acima da média e ônibus lotados.

    Linhas impactadas

    A adesão dos metroviários foi confirmada na noite da última quinta-feira (23), quando o sindicato da categoria anunciou que uma votação foi favorável à greve. Assim, as linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata do Metrô deixam de operar durante a paralisação.

    Funcionários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), representados pelo Sindicato dos Ferroviários, também se decidiram pela paralisação das linhas 7-Rubi, 10-Esmeralda, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade.

    As linhas 4-Amarela e 5-Lilás do Metrô, além das linhas de trens 8-Diamante e 9-Esmeralda, vão continuar funcionando, já que são administradas pela iniciativa privada.




    COMENTÁRIOS

    Buscar

    Alterar Local

    Anuncie Aqui

    Escolha abaixo onde deseja anunciar.

    Efetue o Login