Para onde vai a sua alma?

Bispo Renato Cardoso explica sobre a eternidade em sofrimento no inferno

Por Universal.org 07/11/2019 - 08:38 hs
Foto: Pixabay

Como pode Deus ser bom e permitir que as pessoas passem a eternidade em sofrimento no inferno? Essa foi a dúvida que o Bispo Renato Cardoso esclareceu durante edição do programa Inteligência e Fé.

De acordo com o Bispo, “esta pergunta é uma das favoritas de muitos ateus, de muitas pessoas que estão chateadas, magoadas com Deus, pessoas agnósticas, pessoas que tentam questionar a existência de Deus”.

Elas utilizam o argumento raso e infundado de que, se Deus fosse realmente bom, não condenaria uma pessoa ao inferno. Mas será que isso é verdade?

É impossível ser bom para todos

A primeira parte da explicação do Bispo foi focada em mostrar que praticar uma atitude boa para uma pessoa pode se tornar, por consequência, uma atitude ruim para outra.

Exemplificando: uma empresa entrevista Luís e João para uma vaga de emprego. Por fim, decide que Luís é o melhor candidato. Contratar Luís é uma atitude que será boa para Luís. Ao mesmo tempo, será ruim para João.

“É impossível fazer a bondade a todos sem resultar em algo ruim para alguns. Assim também é com Deus”, explicou o Bispo.

Como essa regra se aplica?

Imagine que nenhuma pessoa vai para o inferno. Consequentemente, todas vão para o céu. Todas, sem exceção. Isso seria justo?

“Você quer dividir o céu com Hitler? Quer dividir o céu com todos os assassinos em massa, aqueles que cometeram genocídios ao longo da história da humanidade? Você quer dividir o céu com pedófilos? Quer dividir o céu com satanistas, que declaradamente não querem o céu? Você quer dividir o céu com todo o tipo de gente cruel que nunca se arrependeu de nenhum mal que fez?”, questiona o Bispo. “Esse lugar não seria o céu. Se Deus levasse todo mundo para o céu, não seria mais céu, seria apenas uma continuação do mundo atual, uma extensão da Terra. Ou seja: um inferno melhorado”.

Para Deus fazer o bem àqueles que merecem a felicidade eterna no céu é preciso que aqueles que não merecem estejam em outro lugar.

“Um Deus de amor, simplesmente, não pode levar todo mundo para o céu. Não pode, ainda que Ele queira”, define o Bispo.

E como Deus escolhe quem vai para o inferno?

A resposta é simples: Ele não escolhe. Não é decisão de Deus mandar alguém para o céu ou para o inferno. Essa escolha cabe à própria pessoa.

“A verdade é que ir para o céu ou não é totalmente responsabilidade de cada um. Deus já fez a parte dEle. Deus quer tanto que a gente vá, para estar com Ele depois da morte, que já providenciou o caminho”, explica o Bispo.

Assim, a pergunta que abre essa matéria é injusta. Deus não manda ninguém para o inferno. Ele, literalmente, sacrificou Seu Filho para que todos tivessem a chance de ir para o céu. Questionar “Como Deus é bom e lança as pessoas ao inferno?” é se esquivar da responsabilidade.

“Ele não pode levar todos para o céu, porque nem todo mundo quer a disciplina, as regras, a maneira de Deus. Ele só pode levar para o céu aqueles que se arrependem dos seus erros, das suas falhas, aqueles que creem nEle, creem no sacrifício, decidem começar a viver uma vida como se já fosse um cidadão do céu, só que aqui na Terra. Que é a vida de sacrifício, a vida de separação. Diferente do que as outras pessoas decidem viver por aí, que é a sua própria vontade, ao seu próprio jeito”, conclui o Bispo.

Ouça a explicação completa do Bispo Renato Cardoso: