Mãe de aluno agride professora

Colégios brasileiros estão cada vez mais violentos. Por que isso acontece?

Por Universal.org 09/10/2019 - 10:42 hs
Foto: Reprodução Facebook

Há anos o Brasil lidera o ranking de países em que há mais violência contra os professores. De acordo com uma pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), 12,5% dos professores brasileiros já foram vítimas de agressões físicas ou verbais.

No restante do mundo, a média é de 3,4% professores agredidos em cada país. Em algumas nações, como Coreia do Sul, Malásia e Romênia, esse número é 0%.

A situação é tão grave que, em 2018 foram realizados 434 Registros de Ocorrência Escolar relatando agressões aos professores paulistas. O ano letivo tem 200 dias, totalizando uma média de mais de 2 agressões/dia contra os profissionais da educação.

A diretora escolar Bárbara Molina Mazin, que atua na rede pública paulista de ensino, relata que, diante dessa situação, o ensino das matérias se torna secundário:

“A prioridade acaba sendo sobreviver a cada dia. É como se você pensasse assim: ‘Hoje foi mais um dia. Está todo mundo vivo, todo mundo teve a integridade física preservada, então, está ótimo’. Isso porque os alunos trazem essa violência para dentro da escola. Então, tudo querem resolver no grito, no tapa, querem bater.”

De onde vem tanta violência?

Sabendo que a escola é reflexo da sociedade, não é difícil entender de onde surge tanta violência entre os alunos. Bárbara relata que a maioria dos jovens vive em lares onde a violência, seja física, verbal ou psicológica, é constante.

Tanto é assim que, segundo ela, volta e meia “explode uma briga. De repente, explode uma mãe, um pai, um familiar aqui, nervoso, e querendo colocar a culpa na escola por seus problemas. E a gente tem que lidar com tudo isso também.”

Exemplificando: na última semana uma professora da rede pública mineira de ensino sofreu uma emboscada da mãe de uma aluna.

Essa mãe empurrou a professora, puxou seus cabelos, deu socos e pontapés. A professora não reagiu. Alguém filmou, publicou nas redes sociais e o vídeo viralizou.

A Secretaria de Educação de Minas Gerais informou que foi registrado Boletim de Ocorrência contra a agressora.

Outro exemplo de violência aconteceu no último dia 2 de outubro, quando a mãe de um aluno quis levar embora da escola o filho dela e outra criança. A professora Vanessa Rosa não permitiu, pois os pais do outro aluno não haviam autorizado.

Enraivecida, a mãe contrariada agrediu a professora. Em suas redes sociais, a professora escreveu:


Há quem olhe pelos professores

Ao contrário da impressão que Vanessa Rosa teve no dia da agressão, os professores não estão totalmente abandonados. Há quem esteja trabalhando pelo bem dos professores. No próximo dia 13 de outubro, será realizada em todo o Brasil a Consagração e Valorização dos Professores e Profissionais da Educação. Alunos de toda a rede de ensino estão convidando seus professores para serem homenageados e consagrados. Acompanhe no vídeo abaixo: