Cantora gospel Bruna Karla conta como superou a depressão

Ela perdeu a mãe quando tinha 12 anos, o que causou grande sofrimento. Saiba o que aconteceu com ela após esse episódio

Por Alessandra Benac 04/09/2019 - 14:54 hs
Foto: Instagram

Quando a cantora gospel Bruna Karla, de 30 anos, perdeu a mãe em 2002, ela entrou em um estado de tristeza profunda, desencadeando um quadro de depressão, que quase a levou ao suicídio. Ela estava no início de sua carreira musical.

Uma perda, assim, irreparável, de fato, não é nada fácil, especialmente por se tratar de uma criança. No mês passado, no entanto, Bruna participou de um programa de tevê e contou sobre os momentos de sofrimento que passou e sua tentativa de suicídio. “Cheguei a pensar em me jogar do oitavo andar onde morava”, lembrou.


Em meio aos conflitos interiores que a cantora sofria, seu pai percebeu e deu o primeiro passo para ajudar a filha. “Meu pai viu que eu não estava bem e minha gravadora me apoiou muito, levando-me a um psicólogo. Ali eu fui colocando tudo para fora”, relembrou.

Apesar da ajuda médica, Bruna Karla afirma que foi Deus Quem a salvou e que, se não fosse Ele, nada que vive hoje seria possível. “Eu fui salva, de verdade, pelo amor de Deus. Sozinha, no quarto, eu ouvia a voz dEle dizendo: ‘Eu sou contigo’. Ele me colocou de pé e me fortaleceu”, declarou a cantora.

 Depressão no Brasil

No Brasil, de 2007 a 2016, foram registradas aproximadamente 106 mil mortes por suicídio no país. Em 2016, o índice era de 5,8 por cada 100 mil habitantes, e a Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que 18% dos suicídios são provocados por intoxicação, enquanto por enforcamento são 60% dos casos. A OMS estabeleceu meta de reduzir em 10% o número de suicídios até 2020.

Sendo assim, neste mês, acontece a campanha “Setembro Amarelo” que visa a prevenção ao suicídio. Esse movimento teve início em 2015 pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).  A cor é para lembrar o “Dia Mundial de Prevenção do Suicídio”, em 10 de setembro. A cor é justamente para causar mais visibilidade e, assim, conseguir alcançar o maior número possível de pessoas.