O chamado de um Pastor e a missão de uma Mãe

Um Deus extraordinário através das coisas ordinárias.

Por Reverendo Domingos Lima 27/11/2020 - 14:44 hs

O chamado de um Pastor e a missão de uma Mãe. 

Frequentemente, ansiamos por chamados extraordinários, chamados que irão produzir um grande impacto no mundo; chamados cujos resultados serão visíveis, mensuráveis e nos trarão um senso de propósito e realização. Mas, a realidade é que, na maioria das vezes, nossos chamados são mais ordinários do que realmente gostaríamos que fossem, nossas realizações diárias quase imperceptíveis e nossas vidas anônimas para a maior parte das pessoas ao nosso redor. Quantas vezes o anseio por algo maior produziu descontentamento, murmuração e ingratidão em nossos corações? Ansiamos pela grandeza, e nos deparamos com uma pia cheia de louças para lavar, uma igreja pequena de pessoas problemáticas, ansiamos por um trabalho empolgante e desafiador, enquanto a realidade nos espreme em 4 paredes em obrigações rotineiras. 

A vida ordinária com seus chamados opacos parece desprezível à luz de nossas aspirações por chamados extraordinários. Mas, embora não haja holofotes para a mãe que acorda vez após vez para amamentar o seu bebê, do pastor que cuida da ovelha que lhe nada oferece em troca . A realidade é que são os chamados ordinários que dão ritmo à vida e fazem dela o que ela realmente é; no fim das contas, os chamados ordinários não são desprezíveis, mas necessários.

Lamentavelmente, nossa cultura viciada em grandeza, transformou o ordinário em algo indesejável, algo indigno de ser mencionado. Na vida de Cristo enxergamos um chamado (extraordinário), Ele sabia para que veio, sabia que sua vida seria marcada por momentos de tirar o fôlego e que entre esses grandes momentos ele viveria o ordinário. Jesus sabia de seu chamado extraordinário, mas ele viveu de modo ordinário neste mundo. O chamado à uma vida ordinária EM CRISTO. De fato, somente em Cristo nossos chamados ordinários podem ser vividos à luz de um propósito muito maior. 

Sei que nossos dias não têm sido fáceis, em muitos deles desejamos uma vida totalmente diferente da que temos, uma vida mais… extraordinária, mas que esse anseio nos impulsione para Deus e não para nossas próprias aspirações. Sei também que a vida ordinária parece muito mais empolgante nas telas do que realmente é fora delas, talvez, por isso, as redes sociais nos cativam tanto, elas são uma forma de tornar as coisas ordinárias um pouco mais interessantes; o momento ordinário do café se torna mais cativante visto a partir de uma tela, o relacionamento com os filhos mais empolgante diante de curtidas e reações, mas reações viciam e a vida requer ação mesmo quando não há interações. Por isso, precisamos encontrar em Deus a verdadeira motivação para viver o ordinário quando tudo se torna cansativo e desestimulante. G.K.Chesterton escreveu que Deus exulta na monotonia, por isso Ele faz com que todos os dias o sol se levante e se ponha, Ele faz com que os movimentos da terra sejam repetitivos e as estações se repetem ano após ano; porque aquilo que é monótono aos nossos olhos é belo aos olhos de Deus, é um reflexo embaçado de sua própria constância e exultação. É, talvez seja isso que nos falte: exultação. A exultação não ocorre apenas quando saímos do ordinário, mas quando conseguimos enxergar um Deus extraordinário através das coisas ordinárias.


Rev Domingos Lima