Teologia Pública e Ativa

Jesus era público

Por Jonas Cardoso Sapata 09/10/2020 - 12:09 hs


Teologia pública e ativa


Analisando o centro da ideia da Teologia Pública, encontrei muita coerência no sentido Cristão da mesma. Claro que todas as linhas teológicas devem ser analisadas à luz da Bíblia para não correrem risco de desviarem o foco para conceitos liberalistas e políticos por exemplo. Contudo, quando o foco da Teologia Pública passa a ser a inclusão social para os entornos da igreja, de forma que a igreja e seus membros sejam uma referência positiva para a sociedade no qual está inserida, tudo então começa a ficar claro, objetivo, prático e Evangelizador. Pensem num exemplo os batalhões de Polícia próximos à igreja, o quão interessante e Cristão seria uma ação da igreja ao menos uma vez ao ano para celebrar com todos um culto ali, para abençoar os nossos policiais em seu ambiente de trabalho. Seria uma ação de Teologia Pública e social. Ou então um mutirão de jovens da igreja para afetar positivamente o bairro, visitando os moradores, e mais, evangelizando e ajudando os mais idosos de repente na coleta do lixo, pintando os muros, ou quem sabe  podando as plantas do jardim, independentemente de sua confissão católica, protestante ou não. O bairro seria impactado pela ação de Cristãos, e Cristo seria glorificado por tais ações. Se pararmos para analisar, Jesus era público. Estava sempre no meio das pessoas, fossem elas uma mulher adúltera, ou um cobrador de impostos. Não existiam distinções, não haviam acepções. Não existia o cronograma do culto-clero-domingo-templo, e sim uma vida pública, rotativa e sem luxos, andando, curando e anunciando palavras de conforto, salvação e vida eterna a todos quantos quisessem ouvir. Se somos salvos, sabemos para onde caminhamos, então nada melhor do que querermos que todos ao nosso redor possam estar encaminhados à esse mesmo lugar. Como sentir-se bem, sabendo que o morador ao lado da igreja nem comida tem? Sabendo que o idoso na casa ao lado não pode se levantar para cortar o galho da árvore? Sabendo que o batalhão da polícia sentiria-se abençoado e renovado para seu trabalho após uma celebração ali e ninguém o faz? (Existem muitos Capelães que fazem esse trabalho).


Observem como o Cristão pode e deve fazer uma Teologia Pública e Ativa como fazia Jesus, dessa forma o Evangelho seria anunciado, a igreja respeitada como instituição séria e que representa Deus na terra, e o nome de Jesus seria glorificado até por aqueles que nunca aceitaram os "crentes" em suas portas. Pode e deve ao meu ver, ser um caminho objetivo para o evangelismo a Teologia Pública.


Deus abençoe.


Em Cristo. 


Jonas Sapata