A NATUREZA DA ADORAÇÃO

ADORAR É UMA EXPERIÊNCIA INTERIOR

Por Presbítero Marcos Vieira da Silva 13/03/2020 - 09:41 hs

No salmo 95.6,7, o salmista convida: " Ó, vinde, adoremos e prostremo-nos! Ajoelhamos diante do Senhor que nos criou. Porque ele é o nosso Deus, e nós, povo do seu pasto e ovelhas da sua mão".  Ele exalta a Deus por aquilo que ELE é e faz.  E sendo Deus infinito, há muitas maneiras de adorá-lo, conforme o Espírito Santo nos ensina e dirige.  A adoração a Deus, no qual vivemos, nos movemos e existimos, é, acima de tudo, uma atitude interior do ser humano, imagem e semelhança do CRIADOR (At 17.28).  Faz parte da estrutura espiritual de quem crer, teme, ama e serve ao Eterno, a necessidade interior de adorá-lo (Ef 1.6, 12, 14).                      

 A ADORAÇÃO TESTIFICA DA REDENÇÃO --- A igreja tem um papel relevante no que diz respeito a obra redentora de Jesus. A igreja não salva, mas é através dela que a salvação é difundida e recebida. O crente, que foi salvo da condenação do pecado, deve aqui viver em santidade prática, liberto do poder do pecado, e vencedor por Cristo, mediante a fé (Hb 11. 17-39). Na adoração e a ministração da palavra de Deus, a Ignomínia do pecado é revelada e a necessidade de salvação é demonstrada (Sl 51. 10 -  12,17; 32. 5.7) O homem sobre o poder do pecado não é capaz de avaliar o perigo eterno que aguarda aquele que é escravo do pecado. Mas, uma vez remido e salvo do pecado, o crente deseja adorar ao SENHOR que o salvou (Sl 32.1,2 ; 34.15 - 22).