Amor Fraternal

No momento atual de grandes diversidades, vivenciamos tempos difíceis com o aumento da maldade e da incredulidade de muitos.

Por Pastor José Eduardo 07/02/2020 - 08:45 hs

‘’Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber alguns acolheram anjos. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que o estivessem sofrendo no corpo.’’

‘’E assim com confiança ousemos dizer: O Senhor é o meu ajudador, e não temerei o que me possa fazer o homem. Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver.

Jesus Cristo é o mesmo, ontem, hoje e eternamente.’’


Hoje, nosso foco está em Hebreus 13, a saber, sobre o fundamento, a natureza e as implicações do amor fraternal e confirmarmos sobre quem Jesus foi, é e sempre será.

Ao longo do texto, nosso autor tem procurado incansavelmente convencer seus leitores sobre a superioridade de Cristo em diversos aspectos, com vários argumentos seguidos.

Nosso autor começa este capítulo final exortando seus leitores a amar.

"Seja constante o amor fraternal. Não se esqueçam da hospitalidade; foi praticando-a que, sem o saber alguns acolheram anjos. Lembrem-se dos que estão na prisão, como se aprisionados com eles; dos que estão sendo maltratados, como se fossem vocês mesmos que o estivessem sofrendo no corpo. " (13: 1-3)

O cristianismo não é um mero conjunto de doutrinas ou crenças sobre Deus. É sobre laços -  Um verdadeiro relacionamento com Deus por meio de Jesus Cristo e relacionamentos com outros cristãos e não cristãos. Assim como os discípulos de Jesus eram uma família, nós cristãos somos parte de uma família de crentes, uma comunidade na qual nossa vida deve ser vivida. De fato, não podemos negar que, no momento atual de grandes diversidades, vivenciamos tempos difíceis com o aumento da maldade e da incredulidade de muitos. 

Quanta maldade cometemos, ao somente desejar - com alegria dentro de si - que ‘’Alguém teve o que merece’’ ou que ‘’Deus vai fazer justiça’’ Esse ato em específico de desejar é contra o primeiro mandamento de Deus que diz: ‘’Amarás o teu próximo como a ti próprio.’’E se somente, nos alegrarmos com tais afirmações já pecamos dentro de nós e perante a Deus.

Ao amor fraternal ( v.1), ele não significa somente uma afeição geral a todos as pessoas, como nossos irmãos por natureza, todos feitos do mesmo sangue, nem aquela afeição mais limitada que é devida àqueles que são dos mesmos pais imediatos, mas que em especial se trata de um afeto espiritual que deveria existir entre os filhos de Deus.

Embora, naquele tempo, o povo de Deus estivesse dividido e distraído entre eles próprios, tanto em questões religiosas quanto no estado civil, ainda havia um verdadeiro amor fraternal entre aqueles que criam em Cristo; Isso foi veemente demonstrado após o derramamento do Espírito Santo   (At 2: 1) , quando eles tinham tudo em comum, e vendiam todos os seus bens para ajudar seu próximo (At 4: 32). O espírito de Deus é um espírito de amor. Os cristãos devem sempre amar e viver como irmãos, e quanto mais crescerem em devota afeição a Deus, seu Pai celestial, mais crescerão em amor um pelo outro por causa dele.

Devemos sempre nos lembrar que, o Deus de paz, que nos deu um caminho para a paz e a reconciliação entre Ele e nós pecadores, nos ama e está preocupado com isso. Atestando assim que a justiça é satisfeita e a lei cumprida. Ele ressuscitou dos mortos por nossa causa, e esse poder divino pelo qual Ele foi criado, é capaz de fazer tudo por nós. O sangue de Cristo nos lavou e nos limpou de todo o pecado, e assim conseguiu a libertação de todo a humanidade, como tendo pago nossa dívida, de acordo com uma aliança eterna entre o Pai e o Filho. Por mais que seja difícil não procurarmos justiça com nossas próprias mãos, devemos sempre nos lembrar que temos um Pai de amor e que ama a todos. ‘’O Senhor não se atrasa em cumprir a sua promessa, como julgam alguns. Pelo contrário, Ele é extremamente paciente para convosco e não quer que ninguém pereça, mas que todos cheguem ao arrependimento’’ (2 Pedro 3: 9), Para concretizar o plano perfeito de Deus.